Passar para o Conteúdo Principal

Logotipo da Câmara Municipal de Vila do Conde

siga-nos
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C

Exposição Fotográfica «De Passagem - Moçambique 1970 - 1973» de Mário Martins

Exposições
2024/04/06 a 2024/05/31

Exposição Fotográfica «De Passagem - Moçambique 1970 - 1973» de Mário Martins

6 abril - 31 maio de 2024

terça a sábado - das 10h00 às 12h30 | das 14h30 às 19h00

África 𝘥𝘦 𝘱𝘢𝘴𝘴𝘢𝘨𝘦𝘮, Moçambique 1970–1973. Como milhares de portugueses, Mário Martins foi chamado para a Guerra Colonial em 1970, mobilizado contra a sua vontade. Esteve em Moçambique numa companhia de intervenção independente, em operações no Niassa, Zambézia e Tete. Entre as agruras da guerra, do isolamento, das operações, encontrou um mundo fascinante de paisagens luminosas e de olhares intensos, que nunca deixavam de sorrir. E que o prenderam num objectivo: fixá-los. De arma em punho e máquina a tiracolo, foi capturando esses momentos singulares, seguindo o acaso dos acontecimentos, motivado pela expressão humana, pelo estado de espírito e pela condição social. Mostram-se agora esses registos visuais, para que a memória não se perca. Um testemunho simples de um momento da história, sem pretensões; o epílogo desta 𝘱𝘢𝘴𝘴𝘢𝘨𝘦𝘮.

A exposição 𝘋𝘦 𝘗𝘢𝘴𝘴𝘢𝘨𝘦𝘮 – 𝘔𝘰ç𝘢𝘮𝘣𝘪𝘲𝘶𝘦 1970–1973, 𝘧𝘰𝘵𝘰𝘨𝘳𝘢𝘧𝘪𝘢𝘴 𝘥𝘦 𝘔á𝘳𝘪𝘰 𝘔𝘢𝘳𝘵𝘪𝘯𝘴 apresenta-se como um ensaio visual sobre a experiência da Guerra Colonial, surgindo na sequência da publicação homónima, apresentada em 2022 na Biblioteca Municipal de Vila do Conde, com o apoio do Município, da Associação 25 de Abril e do Museu da Guerra Colonial, reunindo contributos da antropóloga e investigadora Maria José Lobo Antunes e do Capitão de Abril e historiador Aniceto Afonso.

. . . . .

“Não se trata de um soldado que fotografa (ou deixa que o fotografem em recordações visuais), mas sim de um fotógrafo que perscruta a condição militar temporária e o novo território em que se encontra. [...] O cuidado pessoal e técnico colocado nestas composições revela o segundo aspeto notável desta coleção: a resistência visual ao regime e ao colonialismo. [...] Em terceiro e último lugar, resulta de anos de revisitação e reflexão. [...] Cinquenta anos após o embarque no Niassa rumo a Nacala, este livro oferece um ensaio visual sobre a experiência da Guerra Colonial. É esse o convite que nos faz: o de descobrir e explorar o rasto de uma passagem por Moçambique que permanece viva nestas páginas.”

Maria José Lobo Antunes, antropóloga e investigadora

“Cada fotografia coloca-nos perante quadros repetidos de experiências que sobrevivem em nós, enquanto participantes do mesmo tempo e do mesmo ambiente. Lembra-nos uma vivência que se atravessou no nosso caminho, sem que a desejássemos ou a tivéssemos escolhido. [...] Nós só temos de as apreciar e de refletir sobre o mundo que elas representam e que hoje reclama a nossa solidariedade.”

Aniceto Afonso, Capitão de Abril e historiador

Município de Vila do Conde

Praça Vasco da Gama
4480-337 Vila do Conde

Telefone +351 252 248 400
E-mail geral@cm-viladoconde.pt

Horário de atendimento
Segunda a sexta - 9h00 às 16h30

© 2015 | Todos os direitos reservados

wiremazelogótipos da validação

Logótipos Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia