Passar para o Conteúdo Principal

imagem

siga-nos
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C

Alfândega Régia

Alfândega Régia – Museu de Construção Naval

O edifício da Alfândega Régia - Museu de Construção Naval fica situado na rua Cais da Alfândega, no coração da zona ribeirinha de Vila do Conde, onde, outrora, laboraram os estaleiros navais vila-condenses.
Em pleno século XV, o apogeu do comércio marítimo provoca um crescente movimento nos portos do reino, ao qual o porto de Vila do Conde não é exceção. Assim, neste contexto D. João II, por carta de 27 de Fevereiro de 1487, cria a Alfândega Régia de Vila do Conde.
O edifício sofreu, ao longo do século XVIII, sucessivas ampliações de modo a colmatar as necessidades ditadas pelo intenso tráfego comercial que então se fazia sentir.

No decorrer do século XX, o edifício entra em processo de degradação, tendo servido de apoio aos serviços da Guarda Fiscal e de armazém afetos aos estaleiros de construção naval. No ano de 2001, fruto da candidatura vila-condense “Rosa dos Ventos” ao Projeto Piloto Urbano, é totalmente reabilitada e convertida em espaço museológico.

A exposição permanente patente ao público, assume três vertentes, as quais traduzem a função do Museu: a Navegação Portuguesa, nomeadamente aquela que tem origem e destino em Vila do Conde; a história da Alfândega Régia e seu funcionamento, oficiais e produtos desalfandegados; a história da Construção Naval, tipos de barcos construídos em Vila do Conde e respetivos processos construtivos.
 Nas mesmas instalações, está sedeado o Centro de Documentação dos Portos Marítimos Quinhentistas CEDOPORMAR, extensão especializada do Arquivo Municipal de Vila do Conde, sobre a história dos burgos marítimos portugueses, destacando-se como primeiro núcleo “Vila do Conde Quinhentista”, da construção naval, navegações e do comércio ultramarino no período quinhentista.

  • Contactos
    Rua Cais da Alfândega
    4480-702 Vila do Conde
    Telefone: 252 617 506 (marcações)
    E-mail: museus@cm-viladoconde.pt

  • Horário de funcionamento:
    Terça a domingo: 10h00/18h00
 
Nau Quinhentista

Fundeada desde 2007 nas águas do rio Ave, a réplica da Nau Quinhentista, construída pelos estaleiros Samuel & Filhos, Lda, de Vila do Conde, é um importante e precioso complemento ao núcleo museológico Alfândega Régia - Museu de Construção Naval. Para além de um importante elemento de atração turística e lúdica, tem uma função pedagógica, pois, construída com o maior respeito pelas investigações científicas da responsabilidade do Almirante Rogério d’ Oliveira, incorpora o saber ancestral dos carpinteiros e calafates dos estaleiros vilacondenses.

A nau portuguesa do século XVI era um navio redondo, de alto bordo, com uma relação de 3:1 entre o comprimento e a largura máxima, três ou quatro cobertas, castelos de popa e de proa, com três e dois pavimentos, respetivamente, cuja arquitetura se integra perfeitamente no casco; arvorava três mastros, o grande e o traquete com pano redondo, e o da mezena com pano latino.
A nau assim concebida satisfazia uma maior necessidade de capacidade de carga do que a conhecida até então nas navegações portuguesas. As viagens para a Índia eram tão longas, que forçavam os navios ao transporte de grande quantidade de alimentos sólidos e líquidos para o sustento da tripulação, tanto mais que a rota impunha longos períodos de navegação sem se ver a costa ou quaisquer pontos de apoio. Acrescia o fator comercial: o comércio das especiarias implicava o transporte de uma carga valiosa, mas volumosa, que requeria espaços adequados para o seu acondicionamento. A tudo respondia a nau, com o seu casco bojudo, e ampla capacidade de acomodação.

A fim de mostrar a complexidade da organização das viagens, a Nau Quinhentista apresenta os aposentos de alguns dos tripulantes, assim como os próprios elementos da tripulação, através de esculturas humanas: o capitão, o piloto, o escrivão, o capelão, o boticário, o timoneiro, o bombardeiro e o grumete.

Simultaneamente, estão expostos vários instrumentos de navegação, material cartográfico, diferentes tipos de mercadorias, uma botica, procurando elucidar sobre a complexidade e as vicissitudes da vida a bordo.

  • Contactos
    Rua Cais da Alfândega
    4480-702 Vila do Conde
    Telefone: 252 617 506 (marcações)
    E-mail: museus@cm-viladoconde.pt

  • Horário de funcionamento:
    Terça a domingo: 10h00/18h00

Casa do Barco

Num espaço de arquitetura contemporânea, e muito próximo dos núcleos museológicos Alfândega Régia – Museu de Construção Naval e Nau Quinhentista, a Casa do Barco apresenta, para além da Loja Interativa do Turismo do Porto e Norte de Portugal, um espaço dedicado à importância das pescas e de outras atividades de vocação marítima.

A presença da réplica de uma embarcação de pesca tradicional - o gasoleiro - é o mote central da exposição, onde, para além de podermos contactar com as tradições inerentes às comunidades marítimas, aprestos e alfaias do quotidiano, observamos, simultaneamente, diversos modelos de embarcações, com destaque para um importante acervo fotográfico, documentando as diferentes atividades económicas relacionadas com o mar.

Passado, presente e futuro, aqui associados e assinalando a indelével gesta do povo vilacondense, certamente que poderão levar esta terra ao achamento de novo rumo à sua sempiterna glória.

  • Horário de funcionamento
    Casa do Barco: segunda a domingo: 9h00/19h00 (1 junho a 15 setembro) / segunda a domingo: 9h00/18h00 (resto do ano)
    Encerra: Ano Novo (1 janeiro), Páscoa (domingo), Dia do Trabalhador (1 maio) e Natal (25 dezembro)
Município de Vila do Conde

Praça Vasco da Gama
4480-454 Vila do Conde

Telefone +351 252 248 400
E-mail geral@cm-viladoconde.pt

Horário de atendimento
Segunda a sexta - 9h00 às 16h30

© 2015 | Todos os direitos reservados

wiremazelogótipos da validação